quarta-feira, 28 de junho de 2017

180º dia, Nossa Senhora do Vale

Por Deiber Nunes Martins
O título Nossa Senhora do Vale remonta a duas devoções distintas: uma na Freguesia de Erra, em Portugal, a outra na Província de Tucumán, na Argentina.
Na região Portuguesa de Erra, um costume devocional é bastante difundido: pessoas fazem um colar com cinco folhas de aroeira e o usam, para pedir intercessão à Virgem Maria. A tradição teria sido iniciada por conta de um milagre que os freis franciscanos de Erra haviam obtido. Por conta disso, as pessoas depositavam os colares, denominados “colares milagrosos de Nossa Senhora do Vale” numa ermida construída em um local, onde a imagem de Maria teria aparecido. Os “colares de Nossa Senhora do Vale” são deixados na ermida após obterem a graça que pedem.
Na Argentina, a devoção a Nossa Senhora do Vale teria surgido após a imagem mariana ter sido encontrada no vale de Catamarca, região provincial de Tucumán. Quando da colonização da região, os espanhóis que ali aportavam, tiveram dificuldades com os indígenas. Visando evangelizá-los, o governador de Tucumán, Juan Ramirez de Velasco, tomou consigo o padre jesuíta Alonso de Bárcena e percorreu todas as vilas e aldeias da região, logrando êxito na catequização e na conquista dos índios, que recebiam o novo governo e o serviam, sem oferecer resistência.
Os índios catequizados costumavam rezar em uma gruta onde havia uma imagem da Imaculada Conceição. Faziam isso em segredo, sem nenhum alarde, até que um dia, um índio, a serviço do explorador Manuel de Salazar, viu outros índios entrarem às escondidas na gruta e contou a seu amo. O explorador, mesmo diante dos protestos dos índios, pegou a imagem e levou-a para casa.
A Virgem Maria, por meio de alguns milagres, fez-se conhecer seu desejo, de não ser venerada em uma casa particular, mas sim em uma capela, onde estaria acessível a todos os seus devotos, espanhóis e indígenas. Assim, construíram-lhe a capela, onde a imagem ficou por muitos anos.
Até que o colonizador espanhol, em atos de desatino, provocou a ira dos índios calchaquíes e estes atacaram  a minoria de espanhóis e simpatizantes, residentes dos Vales de Catamarca e El Viejo. Foi neste momento que a Mãe de Jesus se fez perceber e interveio no conflito, fazendo com que os índios fugissem atemorizados da presença da Mãe de Nosso Senhor. A Virgem Maria então proclamou, por meio de sua imagem milagrosa, venerada há muito tempo na gruta do Vale de Catamarca e depois na capela construída em sua honra, que defenderia toda a província de Tucumán e seus vales. Por esta razão, ficou conhecida na Argentina como Nossa Senhora do Vale.
OREMOS:
Nossa Senhora do Vale, vós que sois a patrona tanto de Argentinos quanto de Portugueses, olhai também pelo nosso Brasil. Intercedei pelos vossos filhos, oh Mãe e por este país que tanto tem sofrido com os desatinos e as ganâncias dos poderosos. Convertei os corações dos homens e das mulheres, para que entendam que a desonestidade e a irresponsabilidade do “jeitinho brasileiro”, só ampliam as injustiças e desigualdades no país. Fazei com que os brasileiros possam voltar a ter orgulho de sua pátria. E que possamos aprender com Vosso Filho Jesus Cristo, a fazermos a vontade do Pai.
Nossa Senhora do Vale, rogai por nós!
REFERÊNCIAS:
ADUCCI, Edésia. Maria e Seus Títulos Gloriosos. São Paulo: Ed. Loyola, 2003.

ZANON, Frei Darlei. Nossa Senhora de Todos os Nomes: Orações e História de 260 Títulos Marianos. São Paulo: Ed. Paulus, 2014.

Nenhum comentário: