quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Vestido Negro

Por Deiber Nunes Martins

Ah, quão difícil suportar tua falta!
Você sempre tão bela e imaculada
A pele macia, de tons bem suaves
Conjuravam a ti, minha namorada.

Longos dias se foram, muitas emoções...
Revelado foi meu inimigo, julgado rival
Batalhas travamos, guerra ferina
Iludido fiquei, logrado pelo mal.

E você, aurora da minha vida
Linda sempre estivera, minha princesa
Inebriava-me com teu doce olhar
Meu consolo era tua beleza.

Mas meu mundo não fora real
Apenas um coração pulsava este amor
Meu pranto esperava teu jeito de ser
Em outro estavas, fazendo minha dor.

Desejei o prazer do teu amor
Mas não eras minha musa imaculada
Em minha dor, o vestido negro tão sombrio
Vestias, quando meus sonhos roubavas.

Belo Horizonte, 12 de novembro de 1999.

Um comentário:

Barbara disse...

Nossa Deiber,
Que poesia triste...Imagino o tempo em você estava vivendo...
Que hoje as lagrimas sejam de alegria... e o tempo cehio de cor e de vida!
Bj,Orquidea!